Você sabe a diferença entre ser firme e ser grosseiro?

Quero compartilhar com você uma visão clara da diferença entre ser firme e ser grosseiro.

Essa é uma dúvida muito comum e que impede muitas pessoas de conseguir o respeito da equipe e de conseguir a influência correta para realizar os desafios do dia a dia.

Atuei durante 22 anos no mundo corporativo em vários segmentos, empresas de vários portes e de culturas diferentes também, vivenciei durante esses anos muitas coisas que fizeram sentido pra mim e que hoje aplico no meu dia a dia e outras que considero erradas e aprendi a como NÃO fazer, e entendi que ser FIRME é muito diferente de ser GROSSEIRA.

Vi muitos líderes grosseiros, o que na minha visão são pessoas que precisam a todo o momento afirmar o cargo que tem, por meio de ordens curtas e grossas, como se os outros tivessem obrigação de entender ou pesquisar nos bastidores o que está sendo dito para tentar atender às vontades do chefe.

Além dessas cenas, lembro de outras como o excesso de comparação negativa na frente dos demais, super valorizando uns em detrimento de outros, como se isso fosse um estímulo positivo para àquele que sofre o “bullying” corporativo.

Nesses anos pude ver a consequência e os danos causados por esse padrão de comportamento. Danos na auto-estima, danos financeiros, em função do excesso de rotatividade gerada pelo “chefe gênio”, entre outras coisas…

Mas na minha opinião, o maior problema é perceber que muitas pessoas talentosas passam a rejeitar a função de liderar por acreditar neste padrão “terrorista”, o qual eu definitivamente abomino.

Mas então como ser firme e não ser grosseiro?

Mas antes de responder te faço algumas perguntas:

Você quer seguir um líder forte ou fraco? Você quer seguir um líder que sabe onde quer chegar ou não? Você busca exemplos em pessoas determinadas ou pessoas que desistem com frequência?

Se as suas respostas estão relacionadas a ser forte, ter direção e ser determinado, então estamos falando que você quer seguir alguém firme por seus propósitos.

Um Líder precisa deixar claro para onde está indo e levando a sua equipe, mesmo que tenha que dizer não para as ações que fogem do foco da sua visão.

O que salvou a Apple no retorno do Steve Jobs foi que ele assumiu o “não” para àquilo que ia contra à solução de salvar a empresa.

A diferença é que ele demonstrou com o seu próprio exemplo o que isso queria dizer, e é por essa razão que tantas pessoas o admiravam e o seguiam. Ele era firme!

Ele não estava preocupado se o outro iria ficar chateado se ele cortasse um fornecedor, ele dizia e repetia o porquê que aquela decisão estava sendo tomada.

Ser firme é ser coerente e sustentar uma posição tendo a convicção no plano que está sendo seguido, ouvir o que os outros dizem, filtrar, somar o que agrega e eliminar o que foge do foco.

Faz sentido para você?

A dificuldade que as pessoas tem é o medo do conflito e do julgamento: “e se o outro deixar de gostar de mim por isso? E se o outro ficar chateado?.”

Se essa é uma preocupação é porque falta convicção, ou seja, é um problema de FOCO.

Eu poderia ficar horas falando sobre isso aqui, mas uma das coisas que eu também aprendi, foi que ter foco é ter clareza para onde você está indo e conduzindo a sua equipe.

Então pra te ajudar nessa jornada, resolvi compartilhar nas próximas 10 semanas, 10 premissas (1 por semana) que guiaram meu trabalho como líder e me possibilitaram conquistar uma AUTORIDADE LEGÍTIMA, sendo que os efeitos se traduziram na prática desses 3 pontos abaixo….

1. Total comprometimento individual dos colaboradores: Não era preciso estar constantemente corrigindo a equipe, ou determinando o que deveria ser feito, ou ainda apontando quais comportamentos eram indesejados por falta de clareza do que era esperado de sua atuação. Cada um, dentro do seu perfil, naturalmente buscava sua própria superação para que o resultado fosse alcançado e ultrapassado, na maioria das vezes.

2. Engajamento da equipe: Todos seguiam um propósito comum e trabalhavam em prol de atingir os resultados estipulados, o senso de cooperação acontecia de forma natural, tornando o ambiente de trabalho descontraído e harmonioso, independente dos desafios estressantes que outros setores dentro da própria empresa pudessem promover. O foco sempre era fazer o melhor sem sofrimento por uma causa maior que se chamava objetivo do grupo.

3. Resultados acima da média: O principal indicativo de que comprometimento e engajamento estão presentes é quando o resultado faz parte da rotina. O efeito dos resultados que destaco aqui é aquele que vai além das expectativas, algo que verdadeiramente encanta todo e qualquer gestor. O trabalho realizado sempre foi intenso, mas, no final, as expectativas eram surpreendidas pelos detalhes cuidadosos na entrega de cada projeto, pelo cuidado e carinho com que os assuntos eram tratados e, principalmente, sem acarretar desgaste emocional aos integrantes da equipe na conclusão das tarefas. Enfim, todos trabalhavam felizes e sentiam-se gratificados por fazer parte daquele time.

Talvez, ao ler os trechos acima, você possa imaginar que foi construído o CENÁRIO DOS SONHOS que qualquer líder gostaria de viver, e que pareça impossível sua existência, mas afirmo que são exemplos verdadeiros de experiências reais por mim vividas e REFLEXO da AUTORIDADE, por isso resolvi compartilhar com vocês em 10 premissas. Posso acrescentar que essa estratégia é VIÁVEL para qualquer pessoa que realmente queira realizar uma experiência de LIDERANÇA TRANSFORMADORA.

Te vejo na semana que vem com a 1ª premissa….

Please follow and like us: